Notícias

O Brasil é um carro potente atolado

“O Brasil é um carro potente atolado”, diz Aldo Rebelo

Diário Catarinense
13 de junho de 2018

O quarto presidenciável a se apresentar no Congresso de Prefeitos da Federação Catarinense de Municípios (Fecam) foi o pré-candidato à Presidência da República Aldo Rebelo. Representante do Solidariedade, Rebelo começou sua fala às 10h30min. Ex-deputado federal e ex-ministro dos governos Lula e Dilma, ele tem oscilado entre 0 e 1% das intenções de voto em pesquisas eleitorais.

Aldo começou lembrando de laços pessoais com SC e falando brevemente de sua trajetória. Logo em seguida, afirmou que sua pré-campanha tem como um dos compromissos principais reforçar o municipalismo. Defendeu que a autoridade do prefeito dentro do município tem que se reverter também em políticas públicas e criticou os tipos de divisões que o país tem valorizado, como esquerda x direita, gêneros e raças.

— Temos que olhar para todas essas questões, mas o primeiro consenso que o Brasil precisa ter é que o país precisa voltar a crescer. Quando o país não cresce, não tem dinheiro para nada, não gera tributo, não tem orçamento — destacou.

Disse que, depois do crescimento, o segundo desafio é reduzir as desigualdades, citando dificuldades para compras básicas como a de gás de cozinha.

— O Brasil é um carro potente atolado. Se sair do atoleiro, vai rápido. Mas se não tiver um bom motorista, se afunda mais — declarou.

Em um tom mais político e se atendo menos aos temas propostos para debate pela Fecam, o pré-candidato falou sobre a necessidade do Brasil valorizar as coisas que dão certo, e não apenas os fatos ruins, e contou algumas situações que presenciou quando foi ministro da Defesa de Dilma Rousseff (PT) entre outubro de 2015 e maio de 2016.

 

Entrevistas