Notícias

Governo de São Paulo cria grupo de trabalho para incentivar o futebol de várzea

Decreto nº 63.725 publicado no dia 25 de setembro estuda tombamento dos campos de várzea

Agência Futebol Interior
27 de setembro de 2018

O futebol de várzea ganhou um aliado em São Paulo. O Governo do Estado instituiu, por decreto, junto à Casa Civil, grupo de trabalho destinado ao estudo de ações e à identificação de medidas que visem a valorização e proteção sociocultural da modalidade.

O grupo de trabalho será formado, inicialmente, por membros da Casa Civil, Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, Secretaria de Cultura, Museu do Futebol, Secretaria de Desenvolvimento Social e convidados de órgãos, entidades públicas, sociedade civil e setor privado. Após 180 dias de trabalho, será apresentado relatório de conclusão.

Dentre os objetivos principais está o tombamento dos campos de várzea e o debate e sugestão de políticas públicas que busquem preservar o espaço utilizado e formas de cooperação com os municípios e instituições privadas como forma de incentivo e expansão do futebol de várzea.

O secretário-chefe da Casa Civil, Aldo Rebelo, é um dos idealizadores do projeto.

Conta a história que, em 1885, Charles Miller organizou a primeira partida de futebol no Brasil, em um terreno no bairro do Brás, em São Paulo. O terreno, baixo, plano e alagável pelas cheias do rio Tamanduateí, conhecido como a “Várzea do Carmo”.

Desde o ato pioneiro daquele que trouxe o futebol para o Brasil, até hoje, o esporte cresceu, assim como os times de várzea. Segundo a Liga Paulistana de Futebol Amador, somente na capital de São Paulo existem aproximadamente 400 campos e 1.440 times registrados na entidade.

FONTE DE CRAQUES

Campeonatos famosos, como a Copa Kaiser e Desafio ao Galo, foram grandes reveladores de talentos para os clubes profissionais e seleção brasileira: Elias (Atlético Mineiro), Ricardo Oliveira (Atlético Mineiro), Zé Roberto (ex-jogador da Seleção Brasileira), César Sampaio (ex-jogador da Seleção Brasileira), Seginho Chulapa (ex-jogador da Seleção Brasileira), Cafu (ex-jogador da Seleção Brasileira), Denílson (ex-jogador da Seleção Brasileira), Casagrande (ex-jogador da Seleção Brasileira), são alguns dos jogadores que saíram da várzea.

ALÉM DAS QUATROS LINHAS

E os jogadores não foram os únicos revelados pelos campeonatos. Narradores, comentaristas e repórteres esportivos saíram dos campos de “terrão” para as grandes emissoras de televisão e rádio do país. Nomes como: Fausto Silva “Faustão”, Tiago Leifert, Elias Skaf, Randal Juliano, Raul Tabajara, Joseval Peixoto, Samuel Ferro, Vital Bataglia e Adalberto Helena Júnior, também marcaram a várzea.

CONFIRA PUBLICAÇÃO NA FONTE

CONHEÇA O DECRETO – ÍNTEGRA

Decreto nº 63.725, de 25 de setembro de 2018
Governo do Estado de São Paulo

Institui, junto à Casa Civil, do Gabinete do Governador, Grupo de Trabalho destinado ao estudo de ações e à identificação de medidas que visem a valorização e proteção sociocultural do futebol de várzea, no âmbito do Estado de São Paulo

MÁRCIO FRANÇA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, no uso de suas atribuições legais,

Considerando que é dever do Estado apoiar e incentivar as práticas esportivas, formais e não formais, como direito de todos, e o lazer como forma de integração social;

Considerando que o futebol é um fenômeno cultural que abrange todas as classes sociais;

Considerando que o futebol de várzea é uma plataforma de inclusão social e de revelação de talentos;

e Considerando que, historicamente, a várzea foi o berço do futebol no Brasil,

Decreta:

Art. 1. Fica instituído, junto à Casa Civil, do Gabinete do Governador, Grupo de Trabalho destinado ao estudo de ações e à identificação de medidas que visem a valorização e proteção sociocultural do futebol de várzea, no âmbito do Estado de São Paulo.

Art.2. O Grupo de Trabalho terá como objetivos precípuos:

I – promover a realização de inventário dos espaços públicos e privados de prática do futebol de várzea no Estado de São Paulo;

II – sugerir a implementação de políticas públicas que visem preservar o espaço utilizado para a prática do futebol de várzea;

III – identificar:

a) ações que promovam a proteção sociocultural do futebol de várzea;

b) formas de cooperação com municípios e instituições privadas para valorização da prática do futebol de várzea;

IV – propor formas de incentivo aos municípios e instituições privadas que adotem ações de proteção, preservação e estímulo ao futebol de várzea.

Art. 3. O Grupo de Trabalho será composto por representantes dos órgãos adiante relacionados, na seguinte conformidade:

I – 1 (um) da Casa Civil, do Gabinete do Governador, que exercerá a coordenação dos trabalhos;

II – 1 (um) da Secretaria de Governo, por meio do Conselho do Patrimônio Imobiliário;

III – 1 (um) da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude;

IV – 2 (dois) da Secretaria da Cultura, sendo 1 (um) do Museu do Futebol – Estado de São Paulo;

V – 1 (um) da Secretaria de Desenvolvimento Social.

Parágrafo único – Os membros do Grupo de Trabalho serão designados por resolução do Secretário-Chefe da Casa Civil, mediante indicação dos respectivos Titulares dos órgãos que representam.

Art.5. A participação no Grupo de Trabalho será considerada serviço público relevante, vedada a remuneração a qualquer título.

Art. 6. A Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude deverá prover o Grupo de Trabalho do suporte técnico e administrativo necessário ao seu adequado funcionamento.

Art. 7. O Grupo de Trabalho apresentará relatório de conclusão de suas atividades no prazo de 180 (cento e oitenta) dias, contados da data de publicação deste decreto.

Art.8. Este decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Palácio dos Bandeirantes, 25 de setembro de 2018

MÁRCIO FRANÇA

 

Entrevistas